Coração: triglicerídeos elevados e sobrepeso na infância

 Vale a pena conferir esta matéria.

Vejo uma conduta bastante conservadora, por parte da maioria dos pediatras, que prefere não solicitar  exames bioquímicos para crianças pequenas, antes dos 4 anos de idade.

No consultório, por exemplo, eu nunca atendi alguma criança com perfil lipídico já dosado (colesterol, triglicerídeos), mesmo aquelas com antecedentes familiares dislipidêmicos, como por exemplo, papai e/ou mamãe com colesterol e/ou triglicerídeos altos. Não estou criticando a prática clínica de ninguém, nem tampouco sugerindo que sejam solicitados exames médicos a “torto e a direito”. Mas preciso chamar a atenção para este fato, ressaltando que temos estudos que demonstram a alta prevalência de taxas elevadas de colesterol e triglicerídeos, mesmo durante a infância. É preciso monitorar de perto o problema e cuidar dos fatores de risco, além do cuidado com a alimentação e exercício físico. Quanto antes for feito o diagnóstico, muito melhor será o resultado das intervenções. É para isso, papai e mamãe,  que quero chamar a sua atenção.

Cuidar da saúde é vital. Cuidar do coração dos pequenos é vital. Quem tem saúde desde cedo tem saúde pra vida toda!

 Por Francine Barbosa

Nutricionista Cuidar & Nutrir

13 de Maio/2010

 Leia a matéria completa, publicada no Portal do Coração, em Maio de 2010

Crianças com triglicerídeos elevados e sobrepeso apresentam maior risco cardiovascular na idade adulta, aponta estudo

Esta é a conclusão de um estudo apresentado no congresso do American College of Cardiology (Orlando, Estados Unidos).

Entre os anos de 1973 e 1976,  pesquisadores avaliaram as gorduras no sangue (incluindo as taxas de triglicerídeos) e o índice de massa corporal (IMC) de 1.756 crianças  da  Princeton School (Cincinnati, Estados Unidos). A média de idade das crianças era de 12 anos (variando de 9 até 16 anos).

Entre os anos de 1998 e 2003,  808 destes participantes iniciais foram reavaliados quanto a ocorrência de eventos cardiovasculares. Nessa ocasião a média de idade era de 39 anos (variando de 35 até 43 anos).

Foram observados  29 eventos cardiovasculares  em 19 dos 808 participantes  que atingiram a idade adulta jovem. Estes eventos incluíam sete angioplastias, uma cirurgia de revascularização miocárdica (ponte de safena), oito infartos do miocárdio, 11 cirurgias de carótidas ou de artérias femorais e 2 casos de derrame cerebral isquêmico.

Quando os 789 indivíduos livres de eventos eram comparados com os 19 que desenvolveram complicações cardiovasculares, as taxas de triglicerídeos e o IMC do primeiro grupo eram significativamente menores que do segundo: 76mg/dl versus 127 mg/dl e 20 kg/m2 versus 24,6 kg/m2, respectivamente.

Indivíduos com doença cardiovascular também eram mais propensos a serem fumantes (47% versus 24%) ou terem diabetes do tipo 2 (32% versus 4%). Os autores do estudo concluem que sobrepeso e as taxas elevadas de triglicerídeos na infância associam-se a um maior risco de complicações cardiovasculares quando se tornam  adultos jovens. Medidas de prevenção cardiovascular devem iniciar na infância.

Fonte: ACC (2009) www.portaldocoracao.com.br 
 

Compartilhe este texto com alguém via:

E-mail Del.icio.us Digg Reddit Technorati Assine o nosso RSS Feed

Deixe seu comentario